sexta-feira, 19 de junho de 2015

LINGUAGEM DE AMOR

Meu amor, meu doce pecado.
Onde andas, assim esquecido.
Sou como mar triste parado.
 Com palavras em meu ouvido.

Contudo, linguagem de amor.
Tem um dialeto estrangeiro.
Quando impetrada uma dor.
Busca incessante do paradeiro.

Meu amor, um dorido coração.
Mantenho no peito guardado.
Deixando vencida razão...
Querendo viver a teu lado.

Quando a linguagem de amor.
Golpeia forte, dentro do peito.
Linguagem,que provoca dor.
Meu amor,apague esse feito.

Nenhum comentário: