quarta-feira, 17 de junho de 2015

ADÃO E EVA

Teu endereço afugentado, então.
Conduziu-me, em tua direção.
Espezinhando, limites sinceros.
Tua luz, teu valor, em esmeros.

Uma timidez, falante, disfarçada.
E uma vida inteira, esmiuçada.
A forte impressão, de um paraíso.
Quando deparado, teu lindo riso.

E na vida enveredou, sentido real.
Composição sincera, pura e vital.
Um sonho, sonhado, toma feição.
Simples, completo, em minha visão.

Em tempo passado, a tristeza ficou.
Como Eva, simplesmente amou.
Como história, relatada,e então.
A lua, as estrelas,paraíso de Adão...

Tantas voltas, procurando um lugar.
Retocado o tempo,soletrado amar.
Que hoje, ainda, tanto caminha.
Cerzindo amor, em mesma linha.



Nenhum comentário:

Postar um comentário