quarta-feira, 17 de junho de 2015

SUAVE

Quando, explanação impera.
Em meio, a tanta congruência.
Faz-se sonhar, nova era...
Alguém, com a mesma essência.

Janela aberta,dentro da noite.
Caindo estrelas do céu...
Ponta encantada, em afoite.
Um circunferente anel.

Querendo expressar, uma fonte.
Regimento em calmaria.
Quando brincam, no horizonte.
Mas também, na cercania.

Contemplado, em longitude.
Comprando qualquer viagem.
Uma linda estrela alude...
Constantemente a miragem

Tropeçando, em tal vastidão.
Apenas, pensamento alcança.
Cai dentro de um coração.
Como rede, suave balança.


Nenhum comentário: