sábado, 20 de junho de 2015

AMOR SEM CORPO

Sem corpo, e esse teu amor veio a mim.
Quando apenas a essência te decifrava.
Distanciamento tanto tempo, o confim.
Enquanto o amor,tão simples brotava.

Muitas vezes, sonhei tanto o teu olhar.
Lindos olhos, foram depois constatados.
Passava tempos, desenhando ao digitar.
Poéticos diálogos,simples e apaixonados.

E umas letras,informando quase tudo.
Quando sentimentos, tristes silenciam.
Compondo entre nós, um diálogo mudo.
Ainda cansadas,as palavras enunciam.

Um amor sem corpo, entendendo porém.
Que mantinha uma essência centralizada.
Depois do segredo, a vida realmente vem.
Colocando-nos assim,numa linda estrada.


Nenhum comentário: