quinta-feira, 18 de junho de 2015

BRANDO


Teus raios, luzes estelares, e noites serenas.
Eternamente mantidos, e esperados por mim.
Aproximando á cor, uma sonoridade amena.
Destas então, tua voz, tua composição, enfim.

Manhãs irradiam, enquanto o sol resumido.
Acordando permeia, uma nuance tom bendito.
Puramente  bondoso, também tão destemido.
Uma corrente livre, felizmente, sempre felicito.

Branquejado jardim, feito de amparos sutis.
Abrindo uma janela, extirpando uma solidão.
Bem comungada, comanda abdução dos vis.
Meus capinzais, em tua inebriante coloração.

Viestes andantes, meus caminhos sinuosos.
Tracejando amor para  minha alma inquieta.
Teu jeito tocante, delicados dedos virtuosos.
Mantidos sonhos, vistos em minha linha reta.

E amado meu, vagando em imensidão vasta.
Quando serenamente, sentindo  contagiada.
Correnteza de palavra, comumente  arrasta.
Acalanto brando, mantendo assim encantada.

Nenhum comentário: