quarta-feira, 17 de junho de 2015

CARTEIRO

Como o tempo escrevendo vai.
Tuas palavras, em meu coração.
Mudando as páginas, da direção.
Quando saudade, apertando sai.

Adentrando as linhas, da densidão.
Construindo espaços, interessantes.
Quando longes, e jamais distantes.
Permanecem escritas no coração.

O vento,como carteiro peculiar.
Levando aos ouvidos,as palavras.
Quando serenamente, tu lavras.
Adentrando, para sempre ficar.

Portanto contigo, nesta caminhada.
Quão juntamente, sem pestanejar.
Como livros abertos, história grafar.
Jogando ao vento,assim perenizada.

Nenhum comentário: