quarta-feira, 24 de junho de 2015

DESAFIO

A rua longínqua mostra onde traçar.
Assim,um sonho, realizado, sem querer.
Traçado confuso, bifurcações a desafiar.
Qualquer coisa tolhe,mas ensina viver.

Sob comando,seguidos passos seguros.
Caminhada esplêndida, mas sem conquista.
Quando, segurança se resume, nos muros.
Apoucada prisão, tapando toda vista.

Á longa distância, um pequeno navio.
Que visto de perto, tornado imenso.
Uma linha azul, no papel faz um rio.
Porém, explorado, um percurso denso.

Livre da dificuldade, sempre condiz.
Apenas desfrutar e jamais viver...
Conquista, um jogo na mão, de aprendiz.
Que encarado o medo, só pode vencer.

A fé um caminho a ser desvendado.
De dentro para fora,como oração.
Compor história,caminho pisado.
Com firmes pés,fincados no chão.

Nenhum comentário: