sábado, 20 de junho de 2015

DESFEITO SONHO

Tardias serenatas, dentro do vale.
Que vale mais, ou não vale nada.
Sentimento, de traição jamais fale.
O corpo insensível, a alma lacrada.

Tardias esperanças, vento já levaram.
Dentre o barulho das ondas, na areia.
Desfeitos sonhos, e também passaram.
Errando o alvo,quando esperança ateia.

Tardio coração, sentimento algum...
Além do espasmo, migalha, além disso.
Fantasma perdido,em ânimo nenhum.
Coletado corpos,ao amor omisso.

Tardia tristeza, a chorar no fim.
Quando sem sonho, nada para aliviar.
A chama triste apagado estopim...
Já não consegue, com a luz clarear.



 

Nenhum comentário: