quinta-feira, 25 de junho de 2015

ERROS

Errando, em tolas conclusões vagadas.
Assim implicando, sofrimento depois.
Retrocedendo, entretanto, na estrada..
Amargurando tanto, contudo nós dois.

Errando, quando insistindo, pudesse.
Conduzir ao pensamento, meu coração.
Depois, desfiando, uma triste prece...
De inúmeros erros, pedindo perdão.

Errando presumindo demais, e tanto.
Como esquecendo, a vida, por medo.
Quando de meus sonhos,tu o encanto.
De meu coração, um eterno segredo.

Errando, acertamos sempre, também.
Quando os acertos, precisam nascer.
Tu és grande acerto, que agora advém.
E definitivamente, dos erros esquecer.



Nenhum comentário: