quarta-feira, 24 de junho de 2015

EU SEM TI

Sem ti sou aquela andorinha.
Tão triste pousada no fio.
Sou um barco na ribeirinha.
Enroscado na margem do rio.

Sou uma folha perdida no vento.
Que se deixa levar por aí...
Sou o selo do pensamento.
A relembrar o que contigo vivi.

Sou o amargo do café da manhã.
Que alguém esqueceu de adoçar.
Sou a casca sem a avelã.
Sou um peixe morrendo no ar.

Sem ti não vivo de alegria.
Finjo sempre poder me alegrar.
Tu sempre deixas a casa vazia.
Quando demoras á retornar.



Nenhum comentário:

Postar um comentário