terça-feira, 23 de junho de 2015

INCRÍVEL

Como filme antigo, em minha mente.
Puídas palavras, navalhas cortantes.
Formalidades, nada mais como antes.
Linha traçada á avessa, completamente.

Ás vezes eu sinto, indo embora, de vez.
Atravessada ponte, desmanchada rede.
Dúvidas ruíram, da certeza, parede.
Solitário sonho, no tempo, desfez.

As mãos vazias, coração cheio, amigo.
Jamais importa, emoções estancadas.
Ruíram esperanças, e abandonada.
Tua ausência persegue, onde eu sigo.

Onde colocarei, o sonho doravante.
Se, insensível, nem posso sequer...
Ao meu coração, de triste mulher.
Cerrar as portas, e seguir adiante.

 Incrível explicar, ao meu amor.
Fazer entender, uma separação.
Vestir de fantasia, esse coração.
Que já não suporta, tamanha dor.



Nenhum comentário:

Postar um comentário