quarta-feira, 24 de junho de 2015

MAJORITÁRIA


Rompendo discreta, tal manhã sonolenta.
Começando espreguiçar, atentada ao sinal.
Mediante nevoeiro, uma friagem cinzenta.
Sinais em promessa, estacionando outonal.

Olhares, tristemente perpassando vidraças.
Sentindo afobação, dos carros apressados.
Luz clara, dentre nevoeiro, manhã abraça.
Pois pensamentos serenos, arremessados.

Compostura,uma adorável cidade coberta.
Laborando com o desafio, tão costumeiro.
Como sensação, vagarosamente  esperta.
O combustível arranjado, para o dia inteiro.

Uma árvore majoritária, ausentada na rua.
Decerto, conversando, com a temporada.
As folhas secas soltando, e ficando nua.
Depois vão brotando, numa outra florada.

Quando incrível manhã, de promessa tanta!
Dando coragem, uma esperança criteriosa.
Então o silêncio, acintoso barulho espanta.
Majoritária aparecendo, de vestimenta rosa.

Nenhum comentário: