quinta-feira, 25 de junho de 2015

QUANDO

Quando o medo amofina esperança.
Faço me lembrar, de tudo que vivi,
Dentre a estrutura, uma temperança.
Uma tranquilidade, pois o tempo ri.

Ainda tenho, um sonho a realizar.
Contudo, jamais devo, esmorecer.
Pois sei, que meu mundo vai girar,
Sonhada a vez, eternamente vencer.

Labores, desenhando meus passos.
Jamais esqueço, minha eterna origem.
Sensações, acertando um compasso.
Descansada agora, jamais me afligem.

Em tempo lutei, por tantas verdades.
Ilimitado espaço, quando, porém senti.
Vendavais, e também prosperidades.
Assim incrivelmente, muito eu já vivi.


Nenhum comentário: