terça-feira, 23 de junho de 2015

PERSUASÃO__SONETO

 Uma luz plana caminha do lado de fora.
Desemboque de primavera, a luz da aurora.
Sentindo imenso pavor, do que possa sentir.
Vendo renovar esse tempo, de ficar ou de ir...

Tão calmo passeio do amor, deste inconsciente.
Que ressalta minúcias, qual criança inocente.
 Granjeia saliente brinquedo de alguém.
Acaba perdendo, por guardá-lo, um tanto bem.

Quantos olhares negaram, o conteúdo sincero.
Vindo persuadir no intenso brilho das verdades.
Alegria exposta exaurindo um calvário austero.

Numa primavera qualquer essa flor desbotada
Riso, ocultando ou relatando sinceridades.
Em longo tempo, na flor, na dor desabrochada.


Nenhum comentário:

Postar um comentário