quinta-feira, 25 de junho de 2015

RECOMEÇO

Tão delicado pensamento aflora.
Lentamente, da alma, um alegrar.
Levemente, sem bater, a balançar.
Balança coração, assustado,embora.

Destinos, assim cruzados, sob jura.
Vida, senhora absoluta, dela somos.
Como a seiva, juntados fomos.
Vinculado amor, alivia, cura...

Emoção enleva, quando deparado.
O limiar, de um caminho festivo.
Denso norte, reconhece o crivo.
Delicado instinto, assim,enlevado.

Há razões, á recomeçarem, em via.
Força, os amores francos trazem.
Milagres, em milhões de almas, fazem.
Comoção doce, apossada alegria.


Nenhum comentário:

Postar um comentário