quinta-feira, 25 de junho de 2015

SIMPLES BOATOS

Tu podes dizer, que vive sem mim.
Pode até, fingir, numa noite qualquer.
Mas, jamais aceitarias nosso fim...
Embora finjas, que pouco me quer.

Tu podes, por isso caprichado.
Ponta de dedos, na palma da mão.
Mas sem mim, teus minutos vazados.
Tristes teus dias, saltados pelo vão.

Sem ti, ora eu não me obtenho.
Fico perdida num beco fechado.
Entendo, que em ti, eu tudo tenho.
Entendas em mim, estás completado.

Tudo bem, que amores se perdem.
Quando estes, não são de verdade.
De nossa histórias, talvez até herdem.
Como simples boatos pela cidade.


Nenhum comentário:

Postar um comentário