quinta-feira, 25 de junho de 2015

RESPOSTA

O tempo,livremente voa leve.
Quando recolhe, tão devagar...
Lentamente, porém breve.
Estica a vida,ao caminhar.

Resposta e pergunta,misturadas.
Quando indissolúvel interpelação.
Soluções,assim jogadas.
Recaem livres,dentro da mão.

Quanta resposta,recebo agora.
Que me induzem, a refletir...
Sou a mesma então_Ou fui embora?
Agora sabendo, por onde ir.

Faço novas perguntas, então.
Tanta resposta, a me procurar.
Receio não perceber, de antemão.
Quais delas vêm, para ensinar.


Nenhum comentário: