sexta-feira, 19 de junho de 2015

TEU MUNDO

Jamais seja teu mundo, esse instante.
Que apenas, enclausura, coisas vãs.
Mas, haja sempre, o sol das manhãs.
Rondando tua janela, nesse rompante.

Jamais, só a tristeza, tomar ambiente.
Onde jazem, tuas conformidades, extras.
A tristeza usa,tuas mãos ambidestras.
Porém,o teu riso,único e plenamente.

Os dias oscilam, dentro de aspirações.
Que jamais morrem, apenas descansam.
Pelos ventos agitados, galhos balançam...
Dando ênfase, ás tuas novas estações.

Enquanto o sol se esconde apoucado.
Para recolorir,teu novo horizonte.
Águas serenas deslizadas na ponte.
Encontram teu mar do outro lado.

Sorria enquanto, espera o encanto.
Que mais te seduz, e te embevece.
Nitidamente, a tua lua aparece.
Tímida e linda,pousada num canto.



Nenhum comentário:

Postar um comentário