quarta-feira, 17 de junho de 2015

TEZ

Seguirei-te, assim, deveras.
Com dedicação extrema.
Como flores, em primaveras.
Em desmistificado esquema.

Tez de sol teimoso e raro.
Cobre teu rosto apoucado.
Constantemente reparo.
Olhares sóbrios, encantados.

Que passam, revirando cenas.
Conversando tudo de novo.
E dessas coisas pequenas.
Em repetição, eu me movo.

Transparência, de bordado.
Trato, de fino esmero...
Tez de fruto aveludado.
Que em pensamento reitero.

Jabuticaba bem madura.
Esses olhos ligeiros...
Voz suave, leveza pura.

Em vozear seresteiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário