quinta-feira, 25 de junho de 2015

VOZ DOS VENTOS

Talvez eu não seja exatamente.
 Mas passarei a admirar, o que sou.
Se, vim para viver, simplesmente.
Levando um brilho por onde vou.

A luta diária me diz tanto.
Contemplando as novidades, depois.
Sempre, dos sentimentos, recanto.
E uma saudade, nos retrata, os dois.

Meu caminho afundar em flores.
Marcados por perfumes, tão delicados.
Muitas palavras, falaram de amores.
Meus pensamentos, poemas gravados.

Assim sigo em sintonia, que me faz.
Como sonhadora, em caminhos lentos.
Buscando o cume, tocando o topo da paz.
Creio em mim, como,na voz dos ventos.


 

Nenhum comentário: