domingo, 19 de julho de 2015

A LUA

Quando linda, em imensidão, pousada.
Brinda a cidade, a colina desertada.
Espia, sobre misteriosa montanha.
Derruba  prata, e a cercania banha.

Um elo noturno, em poesia vagando.
Cai linda definição,o belo se formando.
Luz e versos, em palavras encontradas.
Deslumbre, sensações, esfera encantada.

Assim à noite, com destino traçado.
Com brilho a vagar, pela lua batizado.
Almas humanas, enternecidas tanto!
Minuta as odes, sob lirismo, e encanto.

Exclusivamente, invadida em poesia...
 Vislumbre, em recriada melodia.
Contemplada dentro do coração...
Simplesmente, em tamanha adoração.

Certamente Deus, ao cunhar tanta beleza.
Assentada essência, humana, a grandeza.
Celeiro de eternas e grandes inspirações.
Dentro da alma, migraram as concepções.


Nenhum comentário:

Postar um comentário