domingo, 19 de julho de 2015

AFEIÇÃO

Proposital saciedade, em minha alma.
Quando ajustadas, minhas distorções.
Em meus rastilhos, perdidos borrões.
Retornando-me ao caminho da calma.

A me estender, às noites mais leais.
Repetidamente, como um linguajar.
Assim, meu corpo, poder descansar.
Dentre anseios, luminosos e vitais...

Essa afeição, compartilhada em mim.
Entretanto, nascida uma fonte leal.
Esperança eterna, adormecer vital.
Que me desperta feliz, após ínterim.

Tua presença, estimulada razão.
A viver, a vida, como simplesmente.
Reconhecimento, momento presente.
Dedicada ternura, pulcra afeição.


Assim,encontro todos os motivos.
Mesmo entre os mais desmotivados.
Tronco,folhas,corações ramificados.
Quando embevecidos,destes nativos.




Nenhum comentário:

Postar um comentário