sexta-feira, 17 de julho de 2015

CASTELO-SONETO


Quando, simplesmente, saudade.
A minha ausência te causava.
Sorrindo, tu me procuravas...
Sendo para ti, a única verdade.
 
 Longínqua abstração em refrações.
Porém tarde, mas tão, remoçados.
Lindos castelos, todos formados.
Deveras, imponentes elevações.
 
Nítida sensação comungada.
Volume, em felicidade posta...
Pela minha alegria, estimada.
 
E quando tudo,já era certeza.
Entre nós,grande montanha encosta.
Para sempre,abolida beleza.
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário