sexta-feira, 17 de julho de 2015

CRISTALINAS


Mansamente, meu pensamento reduz.
O tempo e a distância também...
Quando de lembrança, alegria produz.
Aproximado enlevo que me tem.
 
Posteriormente, uma saudade roça.
Minha emoção, á flor da pele.
Certamente, entendo que possa.
Encontrar uma estrela que ainda vele.
 
Pelo nosso amor, abandonado.
Em linhas, naturais da vida.
Ás vezes, entendo-te, meu pecado.
Porém em muitas, alma querida.
 
A noite propicia, aproximação.
Quando as estrelas dão enfoque.
Chego mais perto, de minha emoção.
Sentindo até, teu leve toque.
 
Cristalinas esperanças melindrosas.
Que podem quebrar, pelo caminho.
Porém, ainda creio, em livres rosas.
Todas cercadas, de lisura e espinho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário