quarta-feira, 1 de julho de 2015

ESCOMBRO

Esquecendo possível ressentimento.
Também, em possibilidade meu ódio.
Talvez, sendo esse o melhor momento.
Em que liberdade, assentada ao pódio.

Apagando definitivamente, a memória.
Compreendendo, quanto, fiz-te sofrer.
Porém, desconhecendo outra história.
E jamais fazendo, por assim merecer.

O tempo nos levará, tão ausentados.
Lembranças, não, nos iremos causar.
Amor, intenso, mas descasos lavrados.
Sem livros, histórias, procurando um lar.

Quando saindo, de tua vida, pretendo.
Recolher, os  meus vestígios também.
Escombros rechaçados, jamais  crendo.
Enquanto, apenas só fiz, te querer bem.



Nenhum comentário: