quarta-feira, 1 de julho de 2015

ESCOMBRO

Esqueça que irei me ressentir.
Também que virei a te odiar.
Talvez, se faça hora de partir.
E nós insistimos, tanto em ficar.

Apague-me de tua memória.
Sendo, que eu tanto, te fiz sofrer.
Porém, desconhece outra história.
Que jamais fiz, por merecer.

O tempo nos levará ausentes.
Lembranças, não iremos causar.
Amor, intenso, mas sem precedentes.
Sem livros, histórias e sem lar...

Ao sair de tua vida pretendo.
Recolher, meus vestígios também.
Aos escombros, jamais me rendo.
Eu só fiz, te querer bem...

E na fonte de teu olhar perdido.
Um filme antigo, logo antever.
Lembrança do tempo vivido.
De muitos casos, e pouco viver.




 

Nenhum comentário: