sábado, 18 de julho de 2015

HORIZONTE ROSA


Á incompreensão, desse intervalo.
Inconsequente á qualquer situação.
Quando o coração ordena, eu me calo.
Ondas imensas, da tristeza  vazão.

Contrastes produzem efeitos bons.
Jamais, um horizonte, só de rosa.
Em coordenados, misturados tons.
Uma linda paisagem, ao pincel posa.

Teu olhar, tem apenas uma nuance.
Porém, oscila dentro, de tua emoção.
Pintada certeza, também, a chance.
Assim esboçada, e produzida noção.

O sol poente encanta minha tarde...
E uma letargia, escreve o anoitecer.
Paixão, como  labaredas também arde.
Amor acalma, explica a razão de ser.

A tristeza, jamais faculta designar.
Que seja eterno qualquer padecer.
Apenas um tempo, para a alegria voltar.
E novamente um sorriso florescer.



Nenhum comentário: