sexta-feira, 17 de julho de 2015

LEVE


Adágios, todos voltam, um dia.
Quero acreditar, que seja fato.
Estou em busca, da companhia.
Que nem sequer, já vi o retrato.

Porém, sinto a solidão intensa.
De quem jamais, o amor viveu.
Em anseio, minha alma pensa.
Em qual dimensão, se escondeu.

Minha paz, meu abrigo secreto.
O silêncio, em meus sentimentos.
Vem e abre, um caminho direto.
Dissolve no ar, os meus lamentos.

Meu amor, onde viajas contente?
Minha alma perfila, doce emoção.
Aguardo, quão serena e paciente...
Vem e me leve, de leve,pela mão.



Nenhum comentário: