quarta-feira, 1 de julho de 2015

PRESENÇA

Desembrulhada constante saudade.
 Definindo uma tua longa ausência.
Continuamente, tortura á vontade.
Meu pensamento em prepotência.
Noites longas, quando dia invade.
Imenso espaço, em arrumação.
Impostura rotula, minha verdade.
Em abreviada e longa, resignação.

Às vezes, feito uma tempestade.
Armazenado, insinuativo, sem jeito...
Arranjado tempo, em conformidade.
Como balanço intenso, no peito.

Em mente clara, ou indiscrição.
Guardo á vida, um certo cuidado.
Soa também, uma incompreensão.
Porém, um incansável, já consumado.

Arrancada talvez, qualquer verdade.
Em constância, abala meu chão.
Mas, deixada jorrar, quando invade
Alegre presença, em meu coração.



Nenhum comentário: