quarta-feira, 1 de julho de 2015

SILENCIOSOS_SONETO

Esperança contida no olhar.
Que brinca ,com aquele ,sonho antigo.
E partindo ,em saudade fez abrigo.
Meu silêncio ,que insiste em gritar.

Serenos, teus cílios, que contém.
Esmeraldas ,em nuances, as retinas.
Brincam, qual ciranda de meninas.
Perpassa o pensamento ,tão aquém.

Silenciosos brilhos dessas noites.
Longe no tempo sós, se esconderam.
Em saudade em beijo de raspão.

Dessas lembranças livres, de afoites.
Em pulcros encantos, permaneceram.
Vivos dentro ,de meu coração.        



 

Nenhum comentário:

Postar um comentário