sábado, 17 de outubro de 2015

LÓGICA

Ao dizer tudo, quando, assim parecidos.
Confiança existe, se por ela tu responde.
Ao que chamo de eterno, em anos vividos.
Que tanto os guardei, bem sei bem onde.

Quando a tristeza ronda minha vida.
Melhor, esquecer um banal atrevimento.
Pode ser indolor, e melhor se atrevida.
Jamais a desvencilhar, esse ajustamento.

Porém, sempre te ocupas, de nosso amor.
Insiste em palavras, vezes, até repetidas.
Colo as sensações, e lavo minha dor...
Porque juntos, juntamos uma vida.

Ás regras do mundo, um esquecimento.
Porém, á fé ao amor, vale entender.
Toda essa lógica de bom sentimento.
Que mora conosco, que nos faz viver.

O meu corpo, convertido aos poucos.
Em uma simbiose, quase de costume.
Única fragrâncias, privilégios loucos.
Junção aquilatada,a que nos resume.


Nenhum comentário:

Postar um comentário