terça-feira, 20 de outubro de 2015

ÚLTIMA PRIMAVERA


Será sempre ao entardecer.
Porém,os sonhos,ainda vão.
Animar outro amanhecer.
Mesmo sendo,qualquer estação.

Olhar atento,para contemplar.
As primeiras nuances da manhã.
Firme desejo a se perpetrar.
Eliminando a maneira vã.

Ao tempo,assim designado.
Como ruas correm ao longe.
Representando todo passado.
Sossego sutil,mosteiro e monge.

A última primavera do sol.
Jamais,deixará de  insistir.
Compondo floradas ao arrebol.
Ajustado tempo a se permitir.

Ante,qualquer desejo,vence.
A lucidez encantadora...
Havendo pensamento, que pense.
Em uma mão acolhedora.

Nenhum comentário: