segunda-feira, 30 de novembro de 2015

ÍNTIMO


Basta crer,para que haja vida.
Quando pulsa leve, uma esperança.
Uma luz divina,uma paz inserida.
Dentre a crença,abrolha confiança.

Deus desce, sobre o dia expresso.
Contudo,silencioso e também gritante.
Um interligado,mesmo desconexo.
Alternância mudada,divino instante.

Ora,triste estamos simplesmente.
Ora a alegria,que bate no ombro.
Entre o doce e o amargo consente.
Jogar as angústias,entre escombros.

Louvada fé,que nos contamina.
Que arrebata e vence, todo oposto.
Elevada sabedoria, sempre ensina.
Contemplar o 'Grande" em íntimo posto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário