sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

COMO LEMBRANÇA

Antigo amor,assim, livre passeia.
Veleiro singrando,minha veia.
O sol,da manhã esperando.
Uma cantiga de ninar,modulando.

Antigo amor,numa data feita.
E com a alegria,melhor receita.
Desprende do peito voando...
Outras paragens solto primando.

Antigo amor,sem tempo certo.
Com endereço,sempre por perto.
Eu te visito, de vez em quando.
Quando teu dia,ainda raiando.

Antigo amor,o caminho,porém.
Exibe um atalho,também...
Por este mesmo,se vai,se volta.
                                Como lembrança, abraça e solta.

Nenhum comentário: