sábado, 26 de dezembro de 2015

ETERNA


Ao se fazer eterna, jamais pensou.

Que teria uma vida como modelo.

E sob luzes fortes, o tempo passou.

Tão clara evidente,servil apelo.



Tinha no olhar,qualquer segredo.

E no coração,uma força maior.

De quem a vida desbrava sem medo.

Cartilha esta,sabida de cor.



Propunha segui-la, sem expressão.

Apenas, aos fatos se consumava.

Portando na frente o coração.

Como doutora em sapiência reinava.



E forte,a tarde se punha...

Sob um sol dormente dizendo.

Todo legado aos poucos compunha.

Sempre eterna, partiu se fazendo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário