terça-feira, 29 de dezembro de 2015

UMA ILUSÃO

Assim, efêmeros, passageiros.
Elos perdidos pelos cantos...
Recolhidos,em sonhos tantos.
Simplesmente escorremos ligeiros.

Ao nosso lado, apenas fronteira.
Outras vezes, imensa coragem.
Longa e também, curta viagem.
Distribuídas, numa vida inteira.

A lembrança escondida jazer.
O sol fotografa toda novidade.
Assim, lenta mortiça vontade.
Aos poucos,também ensina viver.

Toda saudade sentida,e agora.
Como rastro, em meu coração.
Um tolo campeando uma ilusão.
Deixa o amor, eterno ir embora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário