terça-feira, 5 de janeiro de 2016

REQUERIMENTO


 Por meio desta ode, requerer um coração.

Sem distorção, laborando normalmente.

Que ouça sempre os conselhos da razão.

Razão explica,quando eterno,tudo sente.



Pois que outrora, evasivo impulsiona.

Toda vida, por encanto, aprisionada.

Invencível, sofre, agita, e direciona.

Encolhendo uma alma amarfanhada.



E de volta, eu requeiro, com razão.

Pertence-me essa paz, em mim jazer.

Jamais sobra,um vestígio,uma sensação.

Pondo assim, uma esperança a fenecer.



Que traduza toda essa anomalia.

Apagando os achaques vicinais.

Reprimindo a feição da letargia.

Que refeita pela luz,de teus vitrais.



Queridas tardes, onde lampejantes.

Colocastes vossos brilhos colossais.

Redesenhando felicidades viajantes.

Eu requeiro, um coração, e nada mais.






Nenhum comentário: