quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

POSSIBILIDADE

Quando lentamente, ocupa meus espaços.
Como uma semente, abrolhando a flor.
Rodopiando no sonho, de meus traços.
Ainda impetro, te fitar, eterno amor.

Que numa carona antiga, no tempo viaja.
Representado um presente, ainda tão fiel.
É possível, que em teu coração haja...
Lívida luz, cambiante desbotado papel.

Meus versos,escorregam de meus dedos.
Diante de imensa, emoção sem igual...
Certamente escondemos,aqueles segredos.
Anotados de olhares,em um carnaval.

Suportei tanto, vendo os olhos meninos.
Castanhos trigueiros, marcando ínterim.
A construir devagar, nossos tristes destinos.
Que teve um começo, e jamais terá fim.



Nenhum comentário:

Postar um comentário