segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

RUELA

A chuva melindrosa, espirrada, alvissareira.
Chove torrencialmente,alaga,desmanda a eira.
Saudade eu tenho ainda,de cada amanhecer.
Chove sempre cachoeira,e um sol de estarrecer.

Como tempo se movimenta,e nos deixa para trás.
Branca nuvem corredeira, tanto movimento faz.
Então chove bastante, para o vento esparramar.
Cada pingo desprendido,precipitado no mar.

Uma tarde dormideira,que  o sol já dispensou.
A noite já se prepara, pois o dia descambou.
Entre montanhas rosadas, a vida exibe o som.
Vem brilhar na varanda, pincelada de tom.

Assim, o tempo preguiçoso,retoca a alegria.
Quando a brisa do mar,abraçada ventania.
O sonho nasce de novo,adentra pela janela
Em meio tanta emoção, abraço linda ruela.


Nenhum comentário:

Postar um comentário