sábado, 26 de março de 2016

VERSO


Repare o campear das estrelas, e veja!
Atire para longe, o teu olhar...
O pensamento,recompõe uma peleja.
Que só termina,quando a vida bocejar.

Quando estrelas, recorrente, reta luz.
Retirante, pois precisa trafegar.
Brilho este, uma estrela reproduz.
Tão inerte, quanto mudando de lugar.

Zonza de encanto,porém sombreia.
Meia taça, de champanhe ao luar.
Borbulhante, esplendorosa.Lua cheia.
Refrigério, para estação chegar.

Quanto tempo choveu fina, solidão.
Esperando, conjugando, um repensar.
Esta mesma, movimenta uma emoção.
Veste um verso, e me convida a zarpar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário