domingo, 17 de abril de 2016

ZELADO

Designaria forte incoerência, assim.
Condicionaria, ao coração obedecer.
Presunçoso, e concebe contra mim.
Os sentimentos, mas fazendo sofrer.

Puro encantamento, enquanto mais.
Ligeiro blecaute, como representada.
Momentos, em distrações especiais.
Breve adeus, e uma saudade regada.

O vento altera folhas mortas, pois.
Assim,eu permaneço, em ventanias.
Diferentemente, e amando por dois.
Onde ainda jazer, sobejadas alegria.

A tarde comunga, a abatida rotina.
Sobrancelhas, feito sol sombreiam.
Esperança antiga,dentro da vitrina.
Meus olhares mistos, cambaleiam.

Ainda, finito sonho, podendo intervir.
E a contradição, vencendo por inteiro.
Vista notabilidade, e zelosa ao partir.
Por ti zelado, nosso encanto primeiro.



Nenhum comentário: