sexta-feira, 5 de agosto de 2016

ALTERNÂNCIA

Quando,recatada solidão.
Caminha em frente ao mar.
Como resposta, de antemão.
Para ninguém perguntar.

A sofreguidão atada.
O vento chutando areia.
Imensa, maresia parada.
Quanta imagem incendeia.

O sol,mira disparos...
Mediante, tardes comedidas.
Montanhas de brilhos raros.
Dentre palcos,assim vestidas.

Tua lembrança comemora.
Outro dia feito vazio...
Como onda, vai embora.
Arco íris, depois do estio.

Solidão,ensina alternar.
Tem voz ativa, para o sim.
Tempo, e qualquer lugar
E,outro sorriso,enfim...


Nenhum comentário:

Postar um comentário