terça-feira, 23 de agosto de 2016

ARTE DO ENSINAMENTO

Jamais olvidemos tempo, na voz.
Seja ele então, vagaroso,veloz.
Histórias escritas, na linha do vento.
O tempo é a arte do ensinamento.

A beleza das flores,murcham,porém.
Quando naturais,estas secas também.
Enfeitam,iluminam,da mesa o centro.
Porém,tão serenas, fora e dentro...

Quando a vida entardece, enfim...
Sem desesperança, seguiremos assim.
Compondo poemas, lindos e tardios.
Como neve caída, envolvida nos fios.

Um caminho,simplesmente,carece
E em algum paradeiro adormece...
Como vento percorre toda extensão.
Semeia sementes, da perpetuação.

Inovada gêmula, firme e nata
A própria fábula,no tempo retrata.
Quiçá,novamente,uma esperança.
Lívida nuance,escrita na lembrança.





Nenhum comentário: