sexta-feira, 12 de agosto de 2016

SONHO CONSUMADO


O sol, rente a montanha, entardeceu.
Os olhos,uma lembrança,e assim eu...
Qual abraços caídos,estrelas tardias.
Ainda recordo,alimentando os dias.

Os passo entardecendo,tão tristemente.
Em sombreio cerceando eternamente.
Esperando em porto, parado e sombrio.
Aquele amor desenhado, lento navio

Distribuindo saudade,escreve a espera
Desabotoando um rosto,feito primavera.
Embalagem guardada,como uma flor.
Conduzida permanência,sortida cor.

Todos os dias, recordo como jardim.
Feito lindas hastes sustentado jasmim.
Assim meu coração,mantém nutrido.
Amor devotado,sonho tão consumido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário