quarta-feira, 17 de agosto de 2016

SUPRIMENTOS

Guarde contigo, lembranças que façam bem.
Mesmo passageiras, jamais se apagarão.
Os anseios, dessa indumentária, gritarão.
Quando, em recolhimento, adejando vem.

Guarde tua vida, como página editada.
Separe o ruim, do bem recuperado.
Quando assim, concatenar o errado.
Galgando os degraus, da eterna escada.

Mar de delícias,jamais vida entendamos.
Porém, momentos registram a história.
São eles,de crescimento, ou de glória.
Quando, simultaneamente,os abraçamos.

Alegria, encontrar um sentido, em tudo.
Assim seja, para exorar anistia
Que vem e vai,assim,tal qual o dia.
Como um bom livro, eterno, mas mudo.

Silenciosa então, sabedoria, a leitura.
Enquanto vida, um exemplo soletrado.
Sentido eterno, implícito recado...
Explicando assim,suprimento e semeadura.

2 comentários:

Tais Luso disse...

Guarde contigo, lembranças que façam bem.
Mesmo passageiras, jamais se apagarão.
Os anseios, dessa indumentária, gritarão.
Quando, em recolhimento, adejando vem.

Ótimo!!! Nesse momento, lidando com mil recordações, limpando gavetas, fiz uma pausa para ler tua página que chegou no meu blog há 51 minutos!! E olha o assunto, melhor, impossível.
Mil beijos!

Izildinha Renzo disse...

Querida amiga!
Querida,talentosa e eterna,sou muito grata pela força que me dás,quando batizas meus poemas,eles passam a existirem,meu muito obrigada!