domingo, 25 de setembro de 2016

PAISAGENS

Tuas paisagens, lindas flutuam.
Em tons pastéis, livres ao vento.
Uma invernia, ainda cultuam.
Gélido padecer, cortante e lento.

Tuas paisagens,pelos,neblinas.
A me perder, dentre caminho.
Parecença de flores meninas.
Largadas ao fio de redemoinho.

Tuas paisagens insuam sim!
Um paraíso,em pequeno espaço.
Quando a saudade neste in terim.
Oscila, entre o frio, e o mormaço.

Tuas paisagens,descem quando.
A tarde triste,arremata o dia.
Feito gaivotas, livres alçando.
A me arrebatar para a poesia.

Tuas paisagens,parecem arfar.
Agudas pontas, do padecimento.
Sonho difuso,para impregnar.
Um agasalho no pensamento.

Nenhum comentário: