segunda-feira, 28 de novembro de 2016

TÃO IGUAIS

Tantas respostas aglomeradas.
Ante ao Universo a indagar.
 E,em promessa premeditada.
Assim cumprindo ao silenciar.

Para perguntas que afloram.
Por pouco,e apenas,nada mais.
Pelas respostas que demoram.
Milênios,segundos, tão iguais.

Incólume,mística,tão apenas.
A Mãe que baniu a orfabdade.
Quão imensa,entardece serena.
Amparo invencível, em sumidade.

Ave amanheceres prováveis.
Elevando a fé em conta certa.
Pois , semelhando incontáveis.
Todos os filhos,a porta aberta.


Ave,entardecer assemelhado.
Perecidas flores á perpetuação.
Que na semeadura deste legado.
Cedeu aos povos, irmanação.

Ave Maria,bendita sois...
Ás mulheres um elo herdado.
Romper do dia,também depois.
Quando caminho,já consumado.

Vosso legado de Mãe Santa.
Dentre promessa de liberdade.
Sol que ilumina e levanta.
Perpetrando do Pai a vontade.


Nenhum comentário:

Postar um comentário