quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

QUASE PERFEITO

Ilusória multidão, me segue agora...
Como um lindo verão, quase perfeito.
Como este dia único,vivido lá fora.
Oportunidades,recolhendo direito.

E calmamente, eliminando detritos.
Lava as areias, rescinde os distingues.
Acresce  calibre,aos silenciosos gritos.
Canção tardia,começo de extingues.

Quando pensamento delibera serenar.
E uma paz amena, recolhe a agonia.
Assim, documentado, em todo lugar.
Onde sobrevim, com minha alegria.

Amanhã, outro dia, coerente, então.
E a dança da rotina, exposta ás vitrines.
Alternativa inovada, prosaica sensação.
Vento baldio,ferrolhos de extermines.







Nenhum comentário:

Postar um comentário