quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

SEMELHANÇA

Tão longe tu foste, e eu senti.
Assim, como um vácuo vazio.
Semelhança viva para o frio.
Quando morre a tarde aqui.

Sábia deveras, minha saudade.
Quando, tão logo, assim olvidaste.
Jogada aos ventos, tu a deixaste!
E ela passeia pela minha cidade.

Feito apoucado pássaro abatido
Talvez, andorinha longe do bando.
Voos desconexos, em um fio pousando.
Asas quebradas, coração combalido.

Dói-me a saudade, sem explicar.
Insuflando na vida, convicções.
Amealhando, as fortes razões.
Para assim, um alento,eu abonar.



Nenhum comentário:

Postar um comentário