quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

CHEIA


Santificado fornecimento admissível.
Assim sustenta as vidas, em cadeias.
Distende um contragolpe plausível.
Minguantes,crescentes,novas nas cheias.

Montanhas adornam,cores inerentes.
Quando as ondas,gaivotas aliciam.
Um céu coberto de nuvens expoentes.
Precipitadas,brisa fresca  propiciam.

Completamente umedecida cercania.
Acende expectativa,também perdura.
Temporada longínqua,assim dizia.
Abastança na chuva,fincada fartura.

Que tombadas aos sertões nordestinos.
Abrandada precisões,ás existências.
Retornando á mesa dos pequeninos.
Saciedade esperada ás permanências.

Chove saudade, como chove canção.
Uma ventania ateia arejada brisa.
Nuvem carregada, como um borrão.
Linda efígie, em aforismo eterniza.
  

Nenhum comentário: