terça-feira, 10 de janeiro de 2017

CREPÚSCULO

Semblante corado, a tarde, a canção.
Delicada partitura, feita em mutirão.
Disciplinando, e interpelando ventos.
Rangendo  janelas, atentando  intentos.

Descansando, em um horizonte cálido.
Tardiamente paradeiro,em ocre pálido.
Declinando nitidamente, com precisão.
Roupagem explícita, incitada devoção.

Calma a contenção, à acerada pressa.
Poeticamente, uma pausa arremessa.
Ante apreciações, tremulando no ar.
Tépidas turnês, encantos de pasmar!

Formatando, brioso negrume tardio.
Incólume, retraída, uma tarde em estio.
Cílios peculiares,mantêm as figuradas.
Encanecidas, porém,lindas acaloradas.

Presentemente, intensamente, quando.
Letargia indomável,um ruído cessando.
Assim, inebriada,vem passando devagar.
Como por de sol,um crepúsculo no olhar.


Nenhum comentário: